Native Advertising é o futuro da Mídia

Native Adverting já responde por mais de 20% da receita dos ‘publishers’ e essa participação deve dobrar nos próximos 3 anos.

A análise é dos especialistas do Native Advertising Institute e da World Federation of Newspaper and News Publishers, e consta no NATIVE ADVERTISING TRENDS 2018, publicado em Dezembro do ano passado.

A pesquisa foi conduzida com 148 executivos de notícias em 53 países.

‘Native Advertising’ é uma das principais ferramentas de ‘brand publishing’, uma nova filosofia de comunicação na qual a marca procura ter maior protagonismo no relacionamento com seus potenciais consumidores, produzindo e compartilhando conteúdos relevantes.

No caso da 'propaganda nativa', o conteúdo a ser compartilhado pelo anunciante é contextualizado de acordo com o editorial da publicação, em seu conteúdo, linguagem e forma.

"Métricas de eficiência são o grande desafio dos novos formatos de comunicação."

Os veículos de comunicação identificaram essa tendência e vêm investindo na oportunidade. Mais de 70% dos ‘publishers’ entrevistados informaram ter uma equipe interna dedicada à produção dos conteúdos para seus clientes.

O contexto ainda é de desenvolvimento dos formatos e modelos de negócio. Mais de 60% dos ‘publishers’ oferecem a opção ‘casada’ com a publicidade convencional (anúncios) e apenas um quarto deles têm um time dedicado à comercialização desse modelo. O valor cobrado é proporcionalmente mais alto do que o da comunicação tradicional em 70% dos casos. Artigos on-line (75%) e vídeos (68%) sãos os formatos preferidos, e bem à frente do ‘story telling’ multiplataforma (42%), o que indica que a curva de aprendizado ainda precisa ser percorrida pelos publishers. Tráfego gerado e engajamento são as métricas mais comuns de avaliação de desempenho.

Uma questão ainda não bem resolvida é a identificação do conteúdo pago. Apenas 9% dos ‘publishers’ não fazem distinção entre a publicidade nativa e o conteúdo editorial ‘livre’. Os demais, utilizam rotulam o conteúdo (como pago, patrocinado ou publicidade) ou utilizam formatos diferenciados do padrão da publicação, embora 90% deles afirme que esses conteúdos agregam valor para seu público.

No topo da lista dos desafios apontados pelos entrevistados estão a preparação da equipe interna, para produzir e vender, e a explicação do conceito para os anunciantes, convencendo-os da importância de contar histórias verdadeiras e relevantes.

Transparência e relevância são os pilares de uma estratégia de ‘brand publishing’, e boa parte dos ‘publishers’, escolados pelo fenômeno das fake news, está consciente das consequências de não se atentar para isso.

O relatório completo, que inclui 'cases' premiados, pode ser encontrado neste link.