• Editorial

Ambev: fazendo chover onde deve


Numa inovadora ação de Marketing para sua marca SKOL, a Ambev decidiu contratar um serviço de "bombardeamento" de nuvens para reduzir a probabilidade de chuvas que possam atrapalhar a festa dos foliões durante o Carnaval e, como consequência, o consumo de seus produtos.

A ideia é que as nuvens sejam atacadas na região do Sistema Cantareira, principal responsável pelo armazenamento de água para abastecimento de São Paulo, contribuindo para o aumento de seu volume (hoje com um pouco mais de 50% de sua capacidade), ao invés de choverem sobre os "bloquinhos" carnavalescos.

A iniciativa inovadora levanta duas questões:

(1) Uma empresa privada tem o direito de realizar esse tipo de interferência com impacto ecológico desconhecido ?

(2) Caso as chuvas na região provoquem algum incidente, a empresa poderia ser responsabilizada (o evento deixa de acontecer "por força maior") ?


A iniciativa deve ser simpática aos olhos do público em geral, mas parece juridicamente arriscada. Fato é que quando ninguém sabe a resposta, é porque realmente foi uma inovação.