Enfrentando os desertos digitais

Inclusão digital ainda é um grande desafio global e a pandemia deixou isso claro.

Quase a metade da população mundial (3,6 bilhões de pessoas) segue offline e não teve condições de utilizar a tecnologia para contornar as restrições impostas pelo momento, trabalhando, estudando, interagindo ou comprando de forma remota. E mesmo para quem poderia ter acesso, o custo da banda larga é um fator limitante, mesmo em países desenvolvidos.

Esse foi um dos temas abordados no Fórum Econômico Mundial de Davos, em janeiro de 2021, o que resultou na criação de uma aliança setorial formada por executivos, acadêmicos e empresas dispostas a enfrentar o desafio de democratizar a digitalização. A Edison Alliance promete promover um nível sem precedentes de colaboração intersetorial entre a indústria de tecnologia e outros setores críticos da economia, para garantir a inclusão digital.

Um conselho multissetorial dirigirá a Aliança. Hans Vestberg, presidente e CEO da Verizon, atuará como presidente da Aliança e do Conselho. Ele é acompanhado por Paula Ingabire, Ministra de TIC e Inovação de Ruanda; Ajay Banga, presidente executivo da Mastercard; Shobana Kamineni, vice-presidente executiva do Apollo Hospitals Group; e Robert F. Smith, fundador, presidente e CEO da Vista Equity Partners. O Fórum Econômico Mundial servirá como secretariado e plataforma para a Aliança e um grupo mais amplo de líderes aconselhará e apoiará a Aliança.

“Acelerar o acesso, com preços acessíveis, a serviços habilitados digitalmente - como saúde, educação ou serviços financeiros - é fundamental para a recuperação econômica e a coesão social. Alcançar isso exigirá uma colaboração profunda e contínua.” - Derek O’Halloran, Membro do Comitê Executivo e Chefe da Economia Digital do Fórum Econômico Mundial.

Hans Vestberg, Presidente e CEO da Verizon, aponta que neste último ano a conectividade e o acesso às tecnologias digitais mostraram como são impactantes para trabalhar, aprender e fazer transações, e que são fatores críticos para a recuperação dos países.

Paula Ingabire, Ministra de TIC e Inovação, Ruanda, chama a atenção para a necessidade de mobilizar governos e organizações do setor privado para o desenvolvimento de soluções que garantam o acesso equitativo à conectividade.

Empresas e profissionais que desejem participar da iniciativa, podem se alistar aqui para obter informações sobre como participar.