Tecnologia a serviço da humanidade

“Momento” é um dos 9 marcos de observação que a metodologia Future Castles´ Stones oferece para apoiar a construção de cenários futuros.

Ele aponta para os grandes drives estimuladores de mudança da sociedade e de seus ecossistemas. É a manifestação dos desejos de transformação impulsionados pela percepção das possibilidades. Reflete as aspirações e insatisfações para as quais a sociedade (empresas, governos, pessoas) se sente motivada a agir. Deste ponto de observação, buscamos identificar os indícios que representem a motivação para mudança e seus pontos focais.

Em linguagem simples, só muda quem precisa ou tem vontade. Esses drives são pré-requisitos para um processo de transformação sustentável.

A tecnologia pode mudar o mundo, mas o mundo precisa querer mudar, ou ser seduzido para isso.

É isso que explica o surgimento de protótipos como a máscara da Xiaomi e o traje Micrashell da Production Club. Precisamos nos proteger da pandemia, mas queremos que a vida continue como sempre foi. Uma máscara eficiente, que não precisa se trocada de hora em hora e nos permite usar o celular, e um traje que nos libera para as "baladas" fazem todo o sentido no momento.

Não irão perdurar. Quando observados a partir dos outro 8 marcos da metodologia, falham em atender importantes requisitos.

Embora possam passar pelo crivo dos 3 marcos da "força" (para as pessoas com mais recursos financeiros), não sobrevivem aos marcos do "contexto".

A necessidade humana de contato físico, os aspectos afetivos de nossa cultura e o significado negativo desses produtos são vetores determinantes do seu insucesso.

A pandemia contribuirá para aumentar nossa consciência da importância da biosegurança, mas não o suficiente, nesse momento (zeitgeist) para motivar uma paranóia asséptica.

Mas são um bom exemplo da relação entre o que pode a tecnologia e o que deseja o ser humano. É o segundo que define os caminhos da primeira.